domingo, dezembro 04, 2005

Setembro, 2005

setembro 26, 2005
Dias de praxe ..............

Boa Noite

Hoje foi dia de praxe ......................
pois .... o meu filho mais velho vai estudar para engenheiro químico .....
Então ... o rapaz ainda vai no seu primeiro dia de escola e no seu segundo dia de praxe
pois ............ o primeiro foi logo no dia das matriculas vejam só o que os restantes estudantes fazem aos caloiros
bom segundo as últimas informações vai ser uma semana de pinturas, pois .......
isso mesmo pinturas de unhas, gel no cabelo, cara pintada, e ..........
muitas outras coisas com cantar " a menina que estás à janela"
bom ..... a rapaziada vai-se divertindo à custa dos caloiros
e .............. os caloiros deste ano fazem o mesmo para o ano ...................
Bom já adivinharam que nós os pais estamos muito satisfeitos.
Enfim deixemos as praxes para quando o mais novo trilhar o mesmo caminho .....
Da minha janela no sótão, isso mesmo mudei-me o escritório para o sótão , tenho visto uma serra bela com todos os seus monumentos iluminados ............. num céu sem nuvens. Também vejo o electrico que sai de Sintra e .............. vai até á praia das Maçãs Até amanhã

setembro 20, 2005
“NOITES MEDIEVAIS NO CASTELO DE CASTRO MARIM”
Boa Noite
Hoje vou falar-vos de um evento que pela segunda vês tive o prazer de visitar.
As festas de Castro Marim, denominadas “NOITES MEDIEVAIS NO CASTELO DE CASTRO MARIM”


Este ano realizaram-se de 25 a 28 de Agosto, é um evento que se realiza dentro das muralhas do castelo medieval, recriando toda a época a que se reporta. Foi a segunda vês que fomos a este evento e, pelos vistos não será o último.
Este ano assistimos aos seguintes espectáculos:
“Les Trompettes et les Drapeaux Compagnie de la Grand Gaule” – coreografia de música e bandeiras;
“Justas Medievais pela Ordem de Cavalaria do Sagrado Portugal” na liça do castelo;
A primeira grupo que actuo realizou uma série de danças, actividades de destreza com bandeiras, tocou musicas medievais que de índole militar quer recreativas.
O segundo grupo tinha mesmo um carácter militar e, realizou uma demonstração de como era os torneios medievais que antecediam as guerras. Mas, o que mais admirei foi a realidade com que estes artistas actuaram.
No interior do castelo existiam ainda inúmeros artesãos na sua maioria pessoas de idade, mas também estavam jovens, que mostravam os diferentes trabalhos que à época eram realizados, desde se tanoeiros, carpinteiras, joalharia, manufactura de cordame, fiação, padeiros, ferradores, etc.. Até comprei uma vassoura de fabrico artesanal de palhas de milho feita por um artesão do Porto. Na animação estavam representados os saltimbancos, os músicos, bobos, falcoeiros, etc., de diferentes nacionalidade É sempre recriado um jantar medieval onde se senta o senhor medieval rodeado por todo o seu séquito, ainda não tive o privilégio de jantar em tal mesa de repasto.
Até amanhã ou ...................
setembro 19, 2005
O regresso de férias .................
Boa noite
Voltei ............... de Tavira
As férias lá longe terminaram ..................na

da Manta Rota
O regresso ao trabalho já foi ..................................mais um ciclo a iniciar-se.
Portanto cá estamos de regresso á escrita. Hoje vou falar-vos de uma actividade lúdica que já pratico á muitos anos ............
a PESCA, como tenho escrito alguns temas para serem publicados em páginas de pesca desportiva.
Hoje vou dar-vos a conhecer um desses temas.

PEIXES PLANOS OU “PLEURONECTIFORMES”

Os peixes planos encontram-se habitualmente semi-enterrados na areia do fundo mar, para com ele se confundirem. Alguns são nossos conhecidos, como é o caso do linguado, da solha, do pregado ou do rodovalho, podendo ser pescados nos nossos areais de Norte a Sul.
São animais marinhos, que surgem um pouco por toda o mundo, diferem das outras espécies de peixes pela sua forma corporal.
Possuem o corpo achatado e alongado, tratando-se do único grupo de peixes que não apresenta a simetria bilateral a que estamos habituados, porque possuem os dois olhos do mesmo lado do corpo.
A forma corporal que apresentam é uma adaptação perfeita ao facto de serem peixes de fundo, que se encontram normalmente deitados de lado e semi-enterrados na areia. Uma das faces do corpo destes peixes, ventral ou cega, que está em contacto com a areia, é esbranquiçado e não apresenta nenhum olho, podendo ou não possuir uma barbatana pélvica. A outra face, dorsal ou ocular, que fica virada para cima, apresenta diferentes padrões de pigmentação e possui os dois olhos.
Estes peixes após nascerem, alevins, não têm qualquer semelhança com os seus progenitores, enquanto larvas tem forma simétrica bilateral, como os restantes peixes, e nadam na coluna de água. Durante a passagem juvenil um dos olhos sofre uma migração para o outro lado do corpo, nessa altura nadam para o fundo e a bexiga-natatória desaparece, permanecendo de futuro “deitados” no fundo do mar, passam a ter a forma dos adultos com simetria dorso ventral.

Alevins
Os olhos movem-se independentemente um do outro, permitindo ao peixe uma visão bilateral, em todas as direcções tornando o raio visual muito abrangente, passando despercebido aos seus inimigos e permitindo-lhe capturar com alguma facilidade as suas presas.
São normalmente desprovidos de barbatana peitoral e pélvica do lado cego. A barbatana dorsal e anal são contínuas desde a cabeça até à cauda.
A deslocação dos peixes de fundo, os “pleuronectiformes”, deslocam-se junto ao fundo, onde se encontram a maior parte do tempo, nadando com movimentos ondulatórios do corpo, possíveis devido à sua forma e às longas barbatanas dorsal e anal, que lhes permite também enterrarem-se na areia.
Com grande capacidade de alteração da sua pigmentação por expansão e contracção das células pigmentares, de acordo com o fundo em que se encontram, estes peixes utilizam-na como camuflagem, para se esconderem dos predadores ou para se alimentarem.
Alimentam-se de pequenas minhocas, caranguejos, casulos, moluscos, crustáceos, poliqueteas e, ocasionalmente, de pequenos peixes.
As espécies que podemos pescar nas nossas águas são as seguintes espécies.
“PLEURONECTIFORMES”.
Rodovalho “scophthalmus rhombus” , Rodovalho Bruxa “Zeugopterus punctatus “ ou “Scophthalmus aquosus” , que pertence à família “SCOPHTHALMIDAE”, caracterizando-se pela presença dos olhos do lado esquerdo do peixe, com o olho superior aparecendo por cima ou atrás do olho inferior.


Rodovalho

O Pregado “Scoph-thalmus” - “Psetta maxima”.

Pregado

A Solha “pleuronectes platessa” , a Patruça ou Solha-das-pedras “platicthus flessus” , da família “PLEURONECTIDAE” , que se caracterizam pela presença dos olhos do lado directo do corpo e dentes fortes e mais desenvolvidos do lado “cego”, e barbatanas peitorais desiguais.
O Linguado “solea vulgaris” e “solea solea”, “solea senegalensis” , e “microchirus ocellatus”, e Areeiro “Lepidorhombus whiffiagonis” e Areeiro-de-quatro-manchas “Lepidorhombus boscii” , pertencente à família “SOLEIDAE” que se caracteriza pela presença dos olhos, de dimensões bastante reduzidas, do lado direito do corpo, corpo comprido, ausência de dentes e a presença de uma barbatana pélvica rudimentar. Podem distinguir-se entre eles


Linguado

Num próximo artigo irei falar, em pormenor, das características dos peixes planos mais comuns e da sua pesca.
Bibliografia:
Pesca Desportiva em Portugal, de Álvaro Maria de Sousa
Pêche en Mer du Rivage, de J. M. Böelle – B. Doyen
Pêche en Mer en 10 leçon, de Henri Dewil
http://ichtyonb1.mnhn.fr/search.cfm?lang=Portuguese
http://www.todopesca.com/
http://www.katembe.com/


Até amanhã

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home