domingo, outubro 14, 2007

O congresso do PSD no "país de Sócrates"

Dadas as notícias que vão surgindo nos órgãos de comunicação social, desde os jornais, ás rádios em directo (RCP) e televisões, que sei eu mais.

Não se fala de outra coisa desde que o Dr. Menezess foi eleito presidente do PSD, e vai decorrendo neste fim-de-semana.

Pois este senhor Dr., tem em ideia que para melhorar o país o que há a fazer é termos uma nova constituição para substituir a actual que de tão progressista que era no seu inicio, com as tentativas de a reduzir a uma mera lei através das diferentes revisões, ainda é das mais progressistas da UE, vem agora ele, qual D. Sebastião saído das brumas, tentar eliminar a actual e criar uma nova, talvez mais ao gosto do poder económico.

"Ao DN, Menezes diz que "está na altura de avançar com uma nova revisão da CRP, porque, depois de 1982 e de 1989, só houve alterações pontuais"."


"A ideia do presidente da Câmara de Gaia passa, desde logo, por "expurgar tudo o que são referências ideológicas da Constituição". Se nas revisão de 1982 se apostou "na democratização plena do País e no desaparecimento do Conselho da Revolução" e em 1989 houve "a liberalização do modelo económico e o fim da reforma agrária", agora será altura de "deixarmos de ter um texto que foi condicionado pelos cercos à Assembleia da República e que não está enquadrado com o País"."


E vem com mais ideias novas, velhas do PSD, dar mais poderes para o Presidente da Republica, para que subtilmente se transforme o "pais real" num ""É preciso acrescentar alguns poderes ao Presidente, sem tornar o sistema em presidencial"" , para subtilmente mais tarde atacar numa revisão que transforme o país num sistema semi-presidencial.


Considera ele ainda que quando o presidente veta um qualquer diploma este não deve ser ultrapassado por uma qualquer maioria na assembleia da Répública, que quererá ele então, que seja melhorado e baixe denovo ao presidente?, ou que morra no presidente? algo não vai bem.

""É incrível se alguns destes vetos foram depois ultrapassados pela AR". Por isso, Menezes defende que "áreas de Estado, como os Negócios Estrangeiros, a Defesa, a Segurança e a Justiça, não sejam susceptíveis de verem diplomas vetados e depois ultrapassados por uma maioria" "
DN

E para esta nova constituição já começa a ter apoiantes.


"Paulo Rangel: proposta de Menezes para nova Constituição é concretizável a médio prazo "

E diz mais a dada altura.


""A mim, que sou um constitucionalista de raiz, interessa-me muito essa proposta para uma nova Constituição ou uma alteração da actual. Talvez não seja concretizável a curto prazo, mas é muito interessante", disse hoje aos jornalistas Paulo Rangel. O deputado repetiu que uma solução desse tipo só poderá ter lugar "a médio prazo". "
Jornal Publico


Mas, podemos considerar que esta opção é uma realidade na cabeça destes senhores.


Foi estranho ver a Dra Manuela Ferreira Leite voltar as costas ao Dr. Menezess, depois de um discurso, talvez realista á imagem de Maquiavel " no que está feito não se mexe" para assim ter na mão os "súbditos".


""Não podemos pedir a baixa de impostos. É necessário haver condições para isso. Ao pedir isso estávamos a dizer ao PS que fizeram tudo bem, seria avalizar a política do PS" "
RTP

E anda ainda por ai o "fantasma de Sá Carneiro", uma verdade seja diria que este congresso mais parece um congresso de imortalidade de Sá .

Por tudo o que leio e pela constituição do novo elenco de dirigentes do PSD, possivelmente a política do PS vai ter continuidade quando for substituído.

Fiquem bem


2 Comments:

At 8:30 da tarde, Blogger zé (do beco) said...

Amigo Cavalheiro:
O que o país precisa não é de uma nova Constituição (p'ra melhor tá bem, tá bem! P'ra pior já basta assim, como dizia o poeta). Precisamos é de novos políticos. Políticos mais honestos e que defendam os valores da democracia e da liberdade, em vez de uma economia que asfixia os mais pobres e está a contribuir para a degradação do Planeta. Mas com esta gente a governar-se, ainda vamos poupar tempo e dinheiro. Adopte-se a Constituição de 1933, que ditadores já temos até de sobra.

 
At 10:50 da tarde, Anonymous Andesman said...

Acusa esta constituição de ser "elitista, sulista e liberal"? Quando é que eu ouvi isto?

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home