sábado, junho 16, 2007

Os criticos .....

Quando li a entrevista dada por Raimundo Narciso á revista Visão, fiquei mais conhecedor do perfil dos dissidentes do PCP, não esquecendo que Zita Seabra quando da queda do "império Soviético" preconizava que o nome do partido comunista deveria mudar, mudou ela para a social democracia.
É um pouco narcisista publicar a entrevista num dos seus blogs, mas ainda bem que Raimundo Narciso assim fez, pois deu oportunidade a que mais e mais leitores tomassem conhecimento do que ele considera que os militantes do partido comunista foram ao longo dos tempos e são, ele foi pelos vistos um deles, aqui fica uma das perguntas que lhe fizeram, o resto podem ler no enderesso abaixo.
"Descreve o PCP como um partido onde a iliteracia, o atraso cultural e a fé caracterizam os militantes. Quem lê, não acredita...
Era a realidade e hoje, creio, agravou-se. O PCP deve a sua imagem exterior favorável ao facto de parte da mais importante intelectualidade ter passado por lá. A maioria dos militantes é trabalhadora, operária, com poucos estudos. Não teve oportunidades nem frequentou grandes meios culturais. Daí o apego à fé, à crença e aos dogmas.."
http://puxapalavrainextenso.blogspot.com/2007/06/viso-entrevista-em-2007-06-06.html

Oh, senhor revertido socialista, são operários, gente trabalhadora, e com muito respeito.
Também eu, quando considerei que não me identificava com a forma de estar na política do PCP, me afastei, sem com isso me sentir obrigação de denegrir o partido que me acolheu durante alguns anos.
Ainda não li os seus livros, mas não ficam por ler. Capaz de ler os livros do Dr. Freitas do Amaral, também serei capaz de ler os seus.
Mas aceitar que me chame "iletrado, com pouca cultura e baseando na fé" a minha adesão ao marxismo" foi demais.
Que fizeram os dissidentes que aderiram aos partidos do centro (PS) e do centro-direita (PSD)., senão no futuro prejudicar os trabalhadores e a população em geral, como acontece actualmente com a política de direita do Partido Socialista que no tempo de António Guterres foi de mãos largas e agora Sócrates afunila a vida dos portugueses como se a culpa da situação fosse do povo e não da má gestão dos políticos destes dois partidos.
Considerar os "funcionários públicos" como os mais responsáveis pelo descalabro económico de Portugal são ideias que o Senhor considerava á não muito tempo como teorias fascizantes, e agora que considera? a isto eu chamo clientelismo político, pois há quem não saiba fazer mais nada do que estar inscrito num partido.
Quem ainda hoje defende os interesses dos trabalhadores, quem ainda segura os sindicatos, quem faz frente a um patronato cada vez mais agressivo, pois o Senhor sabe, o PCP. Por muitos defeitos que lhe encontremos é o único partido de esquerda em Portugal, até os trotsquistas do Bloco de Esquerda se rendeu á social democracia, ao propor a futura coligação com o PS, faz lembrar um queijeiro de Ponte de Lima que em tempos viabilizou uma votação a favor do PS.
Deixo-lhe aqui algo de inesquecível, vindo dos anos distantes da revolução chilena, lembra-se de Salvador Allende ....

Bom já vai longo o meu desabafo.
Saudações Marxistas.
Fiquem bem.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home