quarta-feira, janeiro 15, 2014

Trabalhadores da CMS e SMAS de Sintra aprovam moção pelas 35 horas sem a adaptabilidade e o banco de horas

Hoje realizou-se mais uma acção de luta dos trabalhadores da CMS e dos SMAS de Sintra, estando estes em grande maioria, operários, administrativos, chefias, grande número.
Foi realizada uma acção de esclarecimento sobre a proposta de Basílio Horta para a aplicação das 35 horas no lugar das obsoletas 40 horas, que constituem um retrocesso civilizacional, mas este presidente que parece começar a perder o seu "estado de graça" fez uma proposta de dando as 35 horas os trabalhadores dariam de barato o ADAPTABILIDADE e o BANCO DE HORAS, perdendo assim a sua autonomia pós laboral.



Foi uma jornada de luta demonstrativa da união, que deve ser preservada a todo o custo, entre todos os trabalhadores dos SMAS de Sintra e demais trabalhadores da CM de Sintra.

Por tal importância de essa demonstração de união que após a notícia do plenário o STAL foi chamado, um pouco á pressa, para uma reunião com a presidência da câmara, onde será apresentado e discutido um novo modelo para as 35 horas sem ser lesivo para ambas as partes.

A razão para a não aplicação das 40 horas nas autarquias reflectem-se no aumento da despesa que se apresentam ao erário municipal relacionado com esse  aumento desnecessário do horário, isto dito por presidentes das mais variadas cores politicas.

A próxima reunião com o STAL está agendada para sexta-feira (17 Janeiro).

A luta irá com toda a certeza continuar pelos direitos adquiridos como um avanço civilizacional e não no retrocesso a tempos passados de segregacionismo fascista.

Fiquem bem.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home