segunda-feira, setembro 03, 2007

Voltei do deserto .... Algarve!

O deserto a sul do Tejo, como é visto pelo Ministro Mário Lino, está um espectáculo, águas calmas e quentes, férias calmas e repousastes, onde dá para abalizar á distancio para onde este "governo de Sócrates" nos está a levar
Lá para os lados de Tavira a requalificação vai de vento em poupa.


A praia da Manta Rota está cada vez mais apelativa, com a requalificação dos espaços que antes estavam sem qualquer ordenamento, estão agora calcetados, ladrilhados, surgiram novos espaços de comercio com aspecto arejado,

onde a inovação das decorações dizem ao visitante como se vivia no passado longínquo e recente.
Como podemos ver o tal "deserto" não passa de uma miragem de um ministro lunático e mal formado.
Dá também á distância para ficar perturbado com a forma desgovernada como alguns pseudo-ecologistas actuam.
Os governos também têm alguma culpa na forma como são geridos alguns temas que pela sua dificuldade de compreensão levam muitas vezes a levantamentos populares de contestação.
Temos no passado o caso da co-incineração.
Onde a falta de diálogo do actual nosso "primeiro", na altura ministro do Ambiente, veio impor a co-incineração sem ser aberto um amplo debate.
No entanto não é com acções como as ocasionadas em Silves que iremos ficar esclarecidos sobre o uso de produtos transgénicos.
Deixo no entanto, sendo um leigo na matéria, uma questão no ar, será pior comermos organismos transgénicos não poluentes ou usarmos e abusarmos de pesticidas, fungicidas e outros produtos químicos que continuarão a poluir o ambiente.
Aqui também não se saiu muito bem o Bloco de Esquerda, pela parte do mano Portas
Mas voltemos ás terras do sul, deixo-vos para terminar imagens dos festejos na praia da Manta Rota, que se realizaram no fim de Agosto.
Reporta-se ao banho anual dos serrados do barlavento algarvio
Por último um pôr do sol tirado no regresso de mais uma visita á ilha de Tavira


Quero ainda trazer-vos duas imagens captadas com a diferença de um mês, a primeira no fim de Julho, a segunda no fim de Agosto





Com alguma imaginação e poucos recursos seria possível limpar as praias destas algas que até no passado não muito distante serviam para adubar os terrenos de cultura.
Fiquem bem.

1 Comments:

At 2:09 da tarde, Anonymous Andesman said...

Também eu regressei de férias, um pouco mais a norte, onde ainda encontrei umas praias fluviais com águas limpas e ambiente tranquilo. Tudo de bom

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home