quinta-feira, outubro 25, 2012

A hipocrisia da Troika e dos "Pachecos" que nos governam ...

Sinto-me "confuso"! sim "confuso", será que vivemos no mesmo Planeta?, nós Povo e a Troika na companhia dos Pachecos que governam este pais quase milenar que já atravessou inúmeras eras com multiplas guerras peninsulares e que por mais de uma vez foi invadido por Franceses, Espanhóis  Ingleses que ao abrigo de apoio militar ficaram por cá a governar enquanto o Rei passava férias no Brasil aquando das invasões francesas. Agora estamos a ser invadidos por Troikanos que estão a proporcionar aos Pachecos que nos governam façam ideologicamente experimentações, com origem na ideologia ultraliberal da escola de Milton Friedman , e empobreçam este "nobre Povo" que finalmente começa a revoltar-se nas ruas, com gigantescas manifestações quer convocadas pela sociedade civil, quer por organizações representativas dos trabalhadores.
E porque razão me sinto "confuso", porque ao contrário do que eu esperava, não estamos a ser ajudados de forma nenhuma, estamos isso sim a ser insistentemente roubados e difamados por quem nos devia ajudar, hoje, 25 de Outubro, o "chefão" do FMI teve o descaramento de se pronunciar sobre as ajudas sociais que são dadas aos desempregados, dando mostras do desconhecimento do que é o tecido empresarial do país assim como das dificuldades com que os nossos desempregados se confrontam na procura de empregos, e como podem eles encontrar emprego se todos os dias com esta politica de aumento de impostos as empresas, os pequenos negócios, a restauração, e muitas outras formas de negócio vão entrando em falência  e sem dinheiro para a população adquiri bens não há negocio que resista. Pois bem, esse tal Selassie teve o descaramento de dizer que a nossa protecção os desempregados era das “mais generoso da Europa”, isto é pura ignorância ou descaramento na forma de tratar os portugueses que têm suportado todos estes anos esta impunidade dos desmandos destes governos do arco da governação.
Para este tema temos alguns artigos de economistas da esquerda, não esquecendo os que protesta contra estas medidas afectos ao arco da governação, uns de hoje outros de ontem  todos com culpas no cartório, PS/PSD/CDS, mas voltemos aos que têm ideias contrárias á forma de criar sustentabilidade para sairmos da crise, se lermos os textos do Economista Eugénio Rosa, por exemplo, sobre "O aumento da pobreza e das desigualdades em Portugal e como a "condição de recursos" está a ser utilizada para generalizar a miséria", neste artigo e tendo como base dados do INE ficamos a saber que em 2010 18% da população portuguesa, ou seja, cerca de 1.900.00 portugueses viviam na pobreza mesmo após as prestações sociais  e que cerca de 2.588.000 dos portugueses não estavam neste fosso porque tinham acesso ás prestações sociais  quer isto dizer que se não houvesse, ou tivessem sido diminuídas a níveis pretendidos pelos nossos governantes actuais  o numero seria impressionante cerca de 4.488.000 portugueses teriam poucas possibilidades de sobrevivência digna, a percentagem seria de cerca de 42.5%, pouco menos de metade da população portuguesa.
E vem um senhor do FMI que nem curriculum sabemos qual é dizer que reduzindo as prestações sociais aos desempregados eles procurarão mais insistentemente emprego, mas onde? se o tecido empresarial está, esse sim, na falência, e graças ás medidas troikianas aplicadas pelos Pachecos que nos governam.
Mas hoje também ficamos a saber que o grande Pacheco que nos governa, Passos Coelho, cujo curriculum nem para para substituir uma dona de casa" serve, na companhia de Gaspar, deram a entender ao FMI que a Sobretaxa de 4% no IRS mantém-se, pelo menos, até 2014.
E como ponto final neste post devo continuar a afirmar que fiquei na mesma "confuso", já que não descortino em que planeta vivem estes "extraterrestres", pois no nosso Planeta não é, nem em Portugal muito menos, por uma razão simples, não sabem nada da realidade em que o Povo português vive, razão tinha Jerónimo de Sousa quando disse para Passos Coelho, "sabe lá o senhor o que custa a vida", e nem ele nem o seu séquito de Pachecos,  é pura arrogância e autismo o que Gaspar, o tal com nome de gato, dizer que o Estado Português gastou muito com a sua formação, ficamos á dias a saber que andou em faculdades privadas, o que é de nos deixar de pé atrás, dadas as asneiras que tem feito com o controlo das contas públicas, estamos pior que em 2011.
Fiquem bem

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home