terça-feira, novembro 11, 2008

A educação no "país de Sócrates"

À muito que se fala do "autoritarismo" deste governo do "nosso Primeiro", José Sócrates, primeiro era o ministro da saúde Correia de Campos, que pretendia acabar com o Serviço Nacional de Saúde, mas este foi despedido á muito, também já se falava na ministra da educação, Maria de Lurdes Rodrigues, mas agora quem levanta a voz é um militante histórico do Partido Socialista, Manuel Alegre, que no editorial da Revista de Opinião Socialista, OPS!, tece graves criticas á ministra pela forma como tratou politicamente a manifestação dos cerca de 120 mil professores do dia 8 de Novembro.
Confesso que me chocou profundamente a inflexibilidade da Ministra e o modo como se referiu à manifestação, por ela considerada como forma de intimidação ou chantagem, numa linguagem imprópria de um titular da pasta da educação e incompatível com uma cultura democrática.

Confesso ainda que, tendo nascido em 1936 e tendo passado a vida a lutar pela liberdade de expressão e contra o medo, estou farto de pulsões e tiques autoritários, assim como de aqueles que não têm dúvidas, nunca se enganam, e pensam que podem tudo contra todos.

A terminar deixou um recado.
Não se pode reformar a educação tapando os ouvidos aos protestos e às críticas. É preciso saber ouvir e dialogar. É preciso perceber que, mesmo que se tenha uma parte da razão, não é possível ter a razão toda contra tudo e contra todos. Tal não é possível em Democracia.

Lendo atentamente a revista podemos concluir que há mais militantes de renome insatisfeitos com o rumo que a política deste partido socialista de José Sócrates leva como rumo.
Fiquem bem.

1 Comments:

At 10:10 da tarde, Anonymous Andesman said...

Manuel Alegre, diz e pode dizê-lo: "a mim ninguém me cala"

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home