quinta-feira, junho 04, 2009

Adopção, mais um caso polémico ....

Hoje trago-vos mais um sentimento de incompreensão por um dos temas que está por ai nos órgãos de informação, a adopção de um menino de nome Martim Leonardo, de dois anos, filho de uma adolescente de 16 anos.
Até aqui nada de estranho neste país e mundo, onde a educação sexual ainda tem os mesmos preconceitos do tempo do Estado Novo, também que admiração, que diferença tem o Estado de Sócrates comparado com aquele tempo, unicamente a nossa liberdade de estarmos para aqui a escrever textos, a liberdade de escrever e pensar, algo que Abril nos deu, que serão lidos por uma minoria de "pseudo-intelectuais", segundo o "nosso Primeiro", José Sócrates e a sua pandilha.
Pois continuando ...., com tantos casos de adopção e criminais para resolver o tribunal de Cascais em pouco mais de 6 meses despachou para adopção este menino sem com isso ter em conta a disponibilidade das famílias materna e paterna do menino poder decidir a sua custódia.
Todos sabemos os rios de dinheiro, que infelizmente, correm por este pais fora para se ultrapassar as filas de espera nas adopções, bem sei que isto não se pode provar.
Vejamos o que dizem alguns órgãos de informação.
Tribunal
Mãe adolescente reclama bebé dado para adopção
por JOSÉ MANUEL OLIVEIRA02 Junho 2009 (DN)
Ana Leonardo, de 16 anos, faz hoje uma manifestação à porta do refúgio Aboim Ascensão, em Faro, onde está o filho de dois anos e meio. Ela não aceita a decisão do tribunal que deu o filho Martim para adopção.
Ana Leonardo, de 16 anos, não se conforma com a decisão do Tribunal de Família e Menores de Cascais que determinou que o seu filho de dois anos e meio seja urgentemente dado para adopção. Para manifestar a sua indignação, Ana promove hoje uma manifestação à porta do refúgio Aboim Ascensão, em Faro onde a criança está a viver.

Mãe que deu filho para adopção quer reavê-lo
Rapariga de 15 anos pretende evitar que seja entregue a outra família
Por: /FC 02-06-2009 15: 30 (TVI)
Uma criança que foi acolhida pelo refúgio Aboim Ascenção, no Algarve, está a ser reclamada pela família biológica. A mãe quer a anulação das decisões dos tribunais, que lhe retiraram a menor após o parto, quando tinha 13 anos.
Agora, com 15 anos, assegura ter condições para receber o Martim. «Já fiquei mais madura, com mais noção do que estou a fazer. A casa já tem condições e estou a tirar um curso profissional. Já falta menos de um ano para o estágio. O Martim tem uma família muito grande à espera dele», frisou Ana Rita Leonardo aos jornalistas, durante um protesto que se realizou à porta do refúgio.

Bem, agora, aparece por aqui um Senhor,Luís Villas Boas , que cuida de criançinhas numa instituição lá para os Algarves, "Refúgio Aboim Ascensão", o mesmo que tempos passados andou por ai a defender com a Dra. Maria Barroso um tal sargento de Santarém, Luís Gomes, que havia adoptado uma menina, Caso Esmeralda: Tribunal dá poder paternal ao pai biológico, ali dos lados da Sertã, pelos vistos o tal senhor continua a defender adopções de casos polémico.

Mas vamos continuar a analisar o que vem em mais um órgão de comunicação social.
Publicação: 29-05-2009 15:31 Última actualização: 29-05-2009 23:19
Título
Mais um caso polémico de adopção
Ana tinha 13 anos quando foi mãe. A Segurança Social retirou-lhe a criança. A família diz agora que tem condições para cuidar dela, mas o Tribunal de Cascais já entregou o menino para adopção.(SIC)
Ana Rita vai fazer agora 16 anos. A vida fez dela uma mulher antes de tempo. Aos 13 anos engravidou e teve o Martim. Nasceu prematuro mas Ana, apesar de ainda criança, fez tudo para cuidar dele. A mãe de Ana teve uma depressão e a Segurança Social decidiu enviar o bebé para uma instituição.
Ana não se esquece do momento em que lhe tiraram o Martim dos braços.
Compreendeu que o Martim precisava de cuidados especiais, mas sempre esperou que pudesse a continuar a vê-lo como mãe. A Segurança Social prometeu-lhe dinheiro para fazer a viagem de 15 em 15 dias mas em três anos só recebeu um bilhete de ida e volta.
Aos 6 meses, o processo decorre no tribunal de Cascais para entregar o Martim para adopção. A advogada pede para o pai ser ouvido. O juiz não aceita e ainda não foi ouvido até agora. A família de Ana Rita perdeu e recorreram para a Relação. Perderam e recorreram para o Constitucional. Perderam novamente. O Tribunal de Cascais deu ordem para que a criança ser adoptada.

Bom isto está mesmo a pedir que o tal ministro, um tal Alberto Costa, que deu um empurrão na alteração da lei para que grande maioria dos criminosos ande para ai em liberdade condicional ou com "pulseiras" , que acabou quase com a prisão preventiva, e muitas outras coisas que tornaram este "país de Sócrates" no "paraíso dos criminosos", venha sugerir que estes senhores que tomam conta de criancinhas decidam a aquém der mais possam adoptar os meninos que não tem culpa nenhuma de terem nascido neste país governado por uma seita de neo-liberais que não têm feito outra coisa senão torna-lo num país de criminosos e corruptos e de senhores que vivem á grande á sombra das boas reformas que alcançam através da politica.

Corramos com esta escumalha.

Fiquem bem

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home