sábado, janeiro 17, 2015

Non, nous ne sommes pas tous "Charlie"

Pois!
Desculpem o título em francês, mas na realidade nem todos somos "Charlie", eu sou pela expressão livre da palavra, mesmo que isso deixe muita gente furiosa.
Eu diria mesmo desidratada das ideias.
Mas voltemos á vaca fria.
Tal como diz o jornal digital L´OBS Le Plus ""Charlie Hebdo" : non, nous ne sommes pas tous Charlie. Cette France rêvée n'existe pas" em que não se revêem, e diria preocupantemente, porque demonstra uma grande divisão onde a xenofobia para com os imigrantes, e não só sobre os muçulmanos, vem crescendo com as sondagens a privilegiarem a extrema direita de Marine Le Pen a ganhar votos em todas as frentes.
Mas o problema da xenofobia não é só um problema da França, a Alemanha à muito que por lá andam os neo-nazis de mão dada com a extrema direita xenófoba a martirizar os imigrantes que pelo sim pelo não fazem o trabalho que a maioria dos alemães não quer.
A hipocrisia demonstrada pelos políticos que acorreram ao chamamento de Holland, salvo raríssimas excessóes, foram á manifestação de Paris com o rabinho muito apertadinho, que até só conseguiram caminhar 200 metros, que fizeram os Ocidentais nas últimas décadas? 
Pois, além de nunca terem tido a capacidade politica de criar riqueza para poderem acolher os muitos imigrantes de África e do Médio Oriente, assim como, de integrarem convenientemente os muitos filhos de imigrantes nascidos na Europa, europeus de 2ª e 3ª geração, ainda os têm ostracisado.
O que fizeram para integrar e respeitar os muitos crentes da relegião Islâmica?
Nada.
A esses, têm demonstrado a maior demonstração de desprezo ao atacarem os seus países de origem, novamente em buscas das suas riquezas.
Saddam, Kadafi, Boumediene, e outros tais, que embora não sendo flores que eu quisesse cheirar, enquanto serviram os governos ocidentais e os EUA, eram como parentes pobres, mas eram da mesma família.
Podemos dizer que quem deu cabo disto tudo não foi os Buchs, mas sim Sadam, e porque digo isto? ele deu o sinal de que queria ser também um parente rico como os ocidentais e revoltou-se contra os seus parentes exploradores, como ele, dos povos pobres de África e do Méwdio Oriente. e lá vai bomba que o Saddam tinha umas fabricazinhas em camiões que se deslocavam pelo deserto a fabricar bombas, é mesmo para rirmos, mas muito alto.
Mas, o Saddam, e os outros foram-se e os seus povos continuam pobres, e com a agravante de que agora descobriram que guerreando entre eles a vida corre melhor, pelo menos muitos vão á procura das 70 virgens que vivem no paraíso com o profeta Maomé.
E, depois decidiram que não era bonito a Síria continuar a ser um estados territorialmente intacto, e toca a fomentar a divisão.
Mas, como no Afeganistão os ocidentais criaram monstros, lá foram os talibãs e Bin Laden, um rico membro da nobreza da Arábia Saudita, mas que misturas. Claro que a "Caixa de Pandora" foi aberta nessa altura quando os americanos criaram estes vermes para combaterem os Soviéticos em 1979, onde durante 9 anos a guerra grassou, mas ela havia de se prolongar por muitos mais anos.
Com a caixa aberta e sempre a colocar lá dentro com mais ódio entre ocidentais e países muçulmanos, não foi admiração nenhuma que aparecesse no antigo Iraque a parte da Síria o Estado Islâmico, que não tem nada a ver com o legado religioso do profeta Maomé.
O problema é que muitos dos ocidentais se expões, expõem os outros quando decidem não compreender que os povos muçulmanos, que na antiguidade foram mais cultos que os ocidentais, se encontram a atravessar a sua Inquisição, onde a tolerância, que demonstraram nos primórdios da antiguidade, é nula e tudo o que ofenda o profeta Maomé e a sua religião, a obscuridade dos povos muçulmanos da actualidade deve-se ás ditaduras e á intolerância dos povos colonizadores, que por estranho que pareça são os Ingleses, Espanhóis e os Franceses, os mesmos sobre quem recaem as malfeitorias pelos radicais islâmicos.
É só vermos e lermos as notícias sobre as manifestações ocorridas ontem e hoje, e vai continuar, nos países muçulmanos, 

"Milhares de muçulmanos protestam contra nova caricatura de Maomé"

Se fosse crente diria-vos que " Deus é Grande", isto serve tanto para os Católicos como para os Muçulmanos. mas, como Ateu desejo-vos uma boa note.
Fiquem bem. 

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home