domingo, dezembro 09, 2007

A cimeira UE-África no "país de Sócrates" .......... (2º dia)

12,30 horas

Algo vai mal nesta cimeira, o Presidente do Senegal, Abdoulaye Wade, por discordar dos acordos de parceria económica que se estão a negociar entre os países europeus e africanos que como é bom de ver não trarão nada de bom para os povos de África, bem pelo contrário é um sinal de que esta cimeira não irá servir senão para explorar ainda mais o continente africano e os seus povos.

"O Presidente do Senegal, Abdoulaye Wade, abandonou esta manhã os trabalhos da Cimeira União Europeia/África, em Lisboa, com um apelo a um boicote contra os acordos de parceria económica (APE) que estão a ser negociados entre os dois continentes."

"Numa declaração política divulgada por ocasião da Cimeira Europa/África, o Fórum da Sociedade Civil Euro-Africana disse que os acordos bilaterais de comércio livre, em particular os Acordos de Parceria Económica (APE), são um "claro exemplo negativo" da nova Parceria Estratégica. O Fórum acrescenta que esses acordos bilaterais de comércio livre são também incompatíveis com os processos de integração regional e continental, "que é suposto apoiarem". "

O Zé Manel, presidente da Comissão Europeia, em gesto de contra resposta diz que vão continuar a ser feitas negociações económicas em 2008 com o continente africano, esperemos que ele não se engane como aconteceu com a cimeira das Lajes sobre o Iraque.

"Durão Barroso, presidente da Comissão Europeia, avançou hoje aos jornalistas que a União Europeia (UE) vai continuar a negociar em 2008 acordos de nova geração (parceria económica) com países africanos."O nosso objectivo foi sempre, e continua a ser, concluir acordos de parceria económica, com o objectivo de reforçar a integração regional e garantir um desenvolvimento genuíno aos países africanos", disse. "Obviamente, isto é difícil porque implica mudanças. É uma mudança quer para os países africanos, quer para os europeus e isso exige tempo. A Europa compromete-se a continuar as negociações no próximo ano para alcançar esse objectivo", anunciou Durão Barroso."

Jornal Público

O motivo deste abandono estará nas "negociatas" que alguns países europeus não descuram de fazer a "bem" deles.
E notícia como esta levam-nos a pensar que esta cimeira não tem nada de "inocente".

"À margem da cimeira em Lisboa
Espanha assina acordo de dez milhões de euros com Estados da África Ocidental
Espanha e a Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (EcoWas) assinaram hoje, à margem da Cimeira UE/África, um acordo de cooperação no âmbito das migrações, desenvolvimento e infra-estruturas no total de dez milhões de euros.O acordo foi assinado pelo presidente da EcoWas, Mohamed Chambas, e pelo ministro dos Negócios Estrangeiros espanhol, Miguel Angel Moratinos. "Este memorando de entendimento de dez milhões de euros vai insistir na educação, dar mais poder às mulheres do continente africano, ajudar no desenvolvimento das infra-estruturas e facilitar a maneira de controlar e regular os fluxos migratórios", disse Moratinos."

Jornal Público


18,00 horas

Terminou a cimeira UE-África com discurso de vitória por parte do nosso autista "nosso Primeiro", José Sócrates, diz que foram cumpridos "todos os grandes objectivos" .

"O primeiro-ministro português José Sócrates declarou, no discurso de encerramento da Cimeira União Europeia-África, que durante os dois dias da iniciativa foram cumpridos "todos os grandes objectivos". No entanto, lembrou que a História fica agora com uma página em branco para escrever.

"Cumprimos todos os grandes objectivos a que nos tínhamos proposto", declarou Sócrates, lembrando a adopção de uma estratégia conjunta, um plano de acção e um mecanismo de monitorização para o acompanhar. Os líderes africanos e europeus assumiram ainda uma agenda para responder a desafios como a paz, os direitos humanos, a imigração e as alterações climáticas."

O Zé Manel também se pronunciou sobre o assunto:

"O presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, considerou que a relação entre a União Europeia e a União Africana que resultou da cimeira de Lisboa ultrapassa em muito "uma relação entre políticos e diplomatas: relança também relação humana entre os dois lados do Mediterrâneo". "Vivemos um momento muito importante", disse Durão Barroso. "Desta cimeira sai um plano de acção para os próximos três anos, contemplando as áreas das migrações, da energia, dos direitos humanos, das alterações climáticas e da investigação científica"."

O presidente em exercício da União Africana (UA), John Kufuor, também se pronunciou mas, pelo que podemos ler das intervenções dos diferentes lideres africanos e das "negociatas" particulares que cada um fez com os europeus o consenso é fraco.

"União Africana considera que a cimeira foi um "êxito"

O presidente em exercício da União Africana (UA), John Kufuor, considerou hoje que a II cimeira União Europeia-África foi "um êxito" e que terá "certamente um grande impacto na nova era da globalização". "O sucesso desta cimeira reflecte o empenho e vontade dos dois continentes e abre grandes expectativas a África e a Europa", afirmou Kofuor. "

Jornal Público

Mas será que assim foi?, como podemos justificar os abandonos prematuros do presidente do Senegal, ao que me parece e, não ouvi nada em contrário não é nenhum ditador, ou a falta ao jantar de personalidades do continente africano.

Até Romano Prodi tem algumas dúvidas:

Cimeira UE-África: Romano Prodi reconhece que “não está a ser fácil” negociar novos acordos comerciais

19,20 horas

É interessante lermos a opinião dos jornalistas africanos que fizeram a cobertura da cimeira UE-África.

"Saudando unanimemente que a cimeira UE-África tenha finalmente acontecido ao fim de sete anos de adiamentos, os jornalistas africanos que vieram a Lisboa aos dois dias de encontro ao mais alto nível destes dois continentes, e que falaram ao Expresso, insistem que é preciso "aguardar para ver resultados em concreto" antes de lançar foguetes. "

"Ismael Iboun é o mais radical a achar que não há razão para festa e classifica a cimeira como "nula", uma oportunidade perdida de "levantar as barreiras à imigração" e de "rever os acordos de parceria económica". O nigeriano acredita que África "tem muitos e bons exemplos de defesa dos direitos humanos e de boa governação" e que é a UE que "não ajuda os africanos" a conter os fluxos de imigração ilegal: "O Níger e um país de trânsito, a imigração ilegal passa toda por aqui em direcção à Líbia e a Marrocos (e, de seguida, à Europa) e não recebemos ajuda nem meios para a deter". "

De palavras a actos

Bom ao que parece a opinião dos africanos não se ajusta muito á dos europeus, ou seja, á euforia do "nosso Primeiro", José Sócrates, e do Zé Manel.

Fiquem bem

1 Comments:

At 10:52 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Passo com assumido prazer para desejar sinceros votos de Boas Festas e Feliz Natal, na companhia do bom bacalhau e das rabanadas minhotas.

Jofre Alves
http://couramagazine.blogs.sapo.pt/
http://couramagazinefoto.blogs.sapo.pt/

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home