segunda-feira, fevereiro 25, 2008

A contestação no "país de Sócrates" ......

A surpresa da miséria que grassa no "país de Sócrates" já não é possível esconder, agora surge a informação de que a pobreza atinge a população infantil, o que quer dizer que as famílias já não conseguem nem alimentar as crianças.
"Um quinto das crianças em risco de pobreza"
~E, quem realizou esta investigação foi Comissão Europeia, que vem abalizando ao longo dos anos este flagelo da população portuguesa.
O retrato negro consta do relatório conjunto sobre a protecção social e inclusão que é hoje apresentado em Bruxelas (Bélgica) e que deverá ser adoptado no dia 29 pelo Conselho de Ministros do Emprego e Segurança. O mesmo relatório permite concluir que a situação portuguesa nesta matéria não só piorou em termos absolutos face ao último balanço realizado sobre a matéria em 2005 ( referente a rendimentos apurados em 2004) como também ficou mais isolada em termos comparativos."
"Pobreza. Relatório da Comissão Europeia diz que Portugal é o segundo país da UE onde o risco de pobreza infantil é maior."
Nos jornais surge mais contestação a cada dia que passa, o "nosso Primeiro", José Sócrates, ainda não percebeu que não vive no mesmo mundo dos restantes portugueses, e que a contestação vai descer á rua cada vez mais por iniciativa das populações, como a dos professores onde familiares de deputados socialistas estão na linha da frente.
"Um dos rostos dos protestos de professores contra a ministra da Educação, Maria de Lurdes Rodrigues, é o de José Vitorino Guerra, marido da deputada do PS Odete João, que aprovou muitas das medidas contestadas pelos docentes. "
"PROTESTOS REPETEM-SE ESTA SEMANA
Os protestos de docentes contra a política educativa do Governo vão continuar ao longo das próximas semanas, culminando numa manifestação nacional, frente à Assembleia da República, a 8 de Março. Já amanhã, o descontentamento vai fazer-se ouvir em Coimbra, num cordão humano que irá ligar a Praça da República, no centro da cidade, ao edifício-sede da Direcção Regional de Educação do Centro. Roupas negras, archotes e lenços brancos serão alguns dos adereços usados pelos professores em protesto. No dia seguinte, em Viseu, a insatisfação dos docentes faz-se de novo ouvir num protesto pelas ruas da cidade. "
Depois surgirão os funcionários públicos, os operários, a restante população, e assim vai a contestação no "país de Sócrates".
Fiquem bem

2 Comments:

At 10:42 da tarde, Blogger zé lérias said...

Por muito que me custe, não há ponta por onde se pegar em quase tudo o que este governo nos tem "oferecido". A nós, classes média e classes, infelizmente, ainda mais desfavorecidas.

Um abraço

 
At 1:19 da manhã, Anonymous Jofre Alves said...

Não foi para isto que fizemos o 25 de Abril, mas foi para isto que “eles” fizeram o 25 de Novembro, para “normalizar” a sociedade: os pobres estão mais pobres e os ricos cada vez mais ricos! Até dói! Andamos para trás na evolução da sociedade, em muitos aspectos. Um prazer visitar este blogue. Boa semana.

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home