terça-feira, novembro 24, 2015

O governo de António Costa

Finalmente a múmia sai da sua tumba, e durante a noite estudou as resposta de António Costa, pela fresquinha cheio de olheiras decidiu.
Então em vésperas do 25 de Novembro convidou António Costa para formar governo.
Contrariando o pachorrento Sr. Silva, Cavaco para os amigos, apresentou a lista de futuros ministros.

Mário Centeno vai tutelar a pasta das Finanças;
Eduardo Cabrita assumirá as funções de ministro Adjunto do primeiro-ministro;
Francisca Van Dunem será a nova ministra da Justiça;
Constança Urbano de Sousa ocupará a tutela do Ministério da Administração Interna;
Pedro Nuno Santos será o secretário Estado Assuntos Parlamentares;
Tiago Brandão Rodrigues na pasta da Educação;
Azeredo Lopes ficará com a pasta da Defesa;
Manuel Caldeira Cabral na pasta de Economia;
Manuel Heitor é o nome para a Ciência, Tecnologia e Ensino Superior;
Vieira da Silva voltará à Segurança Social;
João Pedro Matos Fernandes é apontado para o Ministério da Agricultura;
Adalberto Campos Fernandes responsável pela Saúde;
Augusto Santos Silva tutelará a pasta dos Negócios Estrangeiros;
Pedro Marques é apontado para o Ministério do Planeamento e Infraestruturas (antiga pastas das Obras Públicas);
João Soares é o escolhido para o Ministério da Cultura;
Ana Paula Vitorino tutela a pasta do Mar;
Capoulas Santos será o responsável pela Agricultura;
Maria Manuel Leitão Marques ficará com a pasta da Presidência e da Modernização Administrativa.

Pronto, já está!
Mas o ressabiados da direita ainda mexem, e logo de seguida vieram para os médias falar sobre debitar todo o seu ódio, dando a entender que mesmo que prejudicando Portugal e o Povo, jamais mesmo em dsespero de causa darão qualquer apoio ao Governo de Costa, castigando assim Portugal e o seu Povo.
Demonstram, e provam, o descrédito em que os políticos de direita se apresentam, ou seja, o que interessa é o "poleiro politico" e não o interesse nacional.
O mau perder é sem dúvida o maior descrédito para a politica nacional.
Num país onde á muito a maioria da população se alheias, é só analisar a abstenção nas diferentes eleições do passado, para vermos o que os portugueses pensam da politica nacional, e não só.
Podemos considerar que os políticos, onde o ensino tem alguma responsabilidade, tem contribuído para a despolitização do Povo português.
Fiquem bem



0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home