quinta-feira, julho 10, 2008

O "caso Orlandi", um Arcebispo e um chefe da máfia italiana .....

Quando desfolhamos as revistas ou os jornais deparamo-nos com pequenas notícias que já foram grandes e serão sempre grandes por estarem ligadas a grandes instituições, umas que deveriam ser portadoras de exemplos e outras que parecem subsistir na sombra destas últimas.
Dava mais uma volta na revista Sábado da semana passada quando me deparei com a notícia do "caso Orlandi" onde o Arcebispo do Vaticano, Paul Marcinkus, é acusado de sequestro e ligação ao desaparecimento da jovem Emanuela Orlandi, de 15 anos, no dia 22 de Junho de 1983, a jovem era filha de um funcionário do Vaticano que ao que parece descobriu que o prelado, conhecido como "o banqueiro de Deus", estava ligado ao escândalo da bancarrota do Banco Ambrosini.

Fico com a sensação de que na realidade o Vaticano é um "império" que já nada tem a ver com a religião católica, mas sim um império de negócios onde as partes mais antagónicas andam de mão dada.
O tema foi relançado, quando Sabrina Minardi, ex-amante do mafioso Enrico de Pedis, mafioso com ligações ao Vaticano, decidiu contar o que sabia sobre o crime.
Procurei aprofundar o tema e quando me deparei com as inúmeras notícias sobre este assunto, fui lendo com a máxima atenção, á medida que lia mais admirado ia ficando e ao mesmo tempo preocupado por se me estar a deparar com uma promiscuidade que nos deve assustar.
O material encontrado na Internet é variado e elucidativo, blogs, notícias, vídeos no yotub, etc.
Deixo-vos alguns endereços onde se pode ler com pormenor o que se sabe e não sabe.

ESCÂNDALO NO VATICANO: CASO EMANUELA ORLANDI
Caso Orlandi, parla la superteste"Rapita per ordine di Marcinkus"
«LA SANTA SEDE è VICINA ALLA FAMIGLIA DELLA RAGAZZA SCOMPARSA NEL 1983»
Caso Orlandi, il cardinal Bertone attacca:«Il classico scandalo estivo creato ad arte»
Il segretario di Stato vaticano: «Desideriamo che la magistratura faccia luce sulla sorte di Emanuela»

Ali Agca, autor dos disparos contra o Papa, em 1981, diz que contou com a cumplicidade de padres e cardeais do Vaticano.
"O turco voltou a referir-se ao caso Orlandi, o misterioso desaparecimento de Emanuela Orlandi, filha de um dos funcionários do Vaticano, pouco depois do atentado e que nunca mais voltou a ser encontrada."

Bom se isto é algo que nos faça pensar que a pureza da religião católica está no Vaticano, eu continuo a preferir ser "Ateu".

Fiquem bem.

1 Comments:

At 3:34 da tarde, Anonymous Andesman said...

Todo o escândalo da falência do banco Ambrosini e suas implicações, e a recusa do Vaticano em entregar o arcebispo Marcinkus à justiça italiana, mostram o estado da igreja católica.

Também eu me sinto bem como ateu, laico, ou coisa que diga que não alinho nesta farsa.

Saude e boa disposição

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home