domingo, maio 04, 2008

O "Zé Trabalhador" comemorou o 1º de Maio no "país de Sócrates" ....

Comemorou-se mais um dia do Trabalhador, um pouco de história sobre este dia:
"No dia 1º de Maio de 1886, 500 mil trabalhadores saíram às ruas de Chicago, nos Estados Unidos, em manifestação pacífica, exigindo a redução da jornada para oito horas de trabalho. A polícia reprimiu a manifestação, dispersando a concentração, depois de ferir e matar dezenas de operários."
Com muitos anos de vida, este dia é sempre comemorado com a esperança de serem alcançadas melhores situações de trabalho, melhores regalias sociais, mas ... por cá parece que o que vai sucedendo são o retirar de condições e regalias sociais conquistadas durante o PREC e ao longo da sociabilização do País, que faziam da nossa Constituição e do Código do Trabalho um os países mais avançadas do mundo em protecção social e laboral.
Senão vejamos que com a tentativa de alteração do Código do Trabalho, se estávamos mal pior iremos ficar, é só estar atento aos entendidos, sindicatos, comentadores, etc.
Flexinsegurança, por Eugénio Rosa
Isto tal como muitos outros temas que irão piorar a vida e a estabilidade o emprego e que terá reflexos na vida da população portuguesa onde, os empregadores fazem uma pressão escandalosa para que a liberalização dos despedimentos seja concretizada, e este governo dito "socialista" do partido Socialista encaminha-se para essa concretização.
Deixo aqui o endereço para uma leitura atenta da proposta de revisão do Código do Trabalho proposto pelo governo d0 "nosso Primeiro", José Sócrates, ou será Pinto de Sousa?
Nada de "insónia" ao lerem, mas sim a pré disposição para ao acordarem estarem dispostos a protestar para que mais esta maldade dos ditos "socialistas" não se venham a concretizar, e os sindicatos sintam o apoio dos trabalhadores e da população em geral.
Tenho andado preocupado com o que o "senhor Silva", Cavaco o Presidente da República, disse no discurso do 25 de Abril e que foi corroborado pelo "nosso Primeiro", José Sócrates, ou será Pinto de Sousa?, e que tanto deu que escrever nos jornais e, foi tema de entrevistas nas TV's, ou seja, aquilo que o inquérito mandado fazer pela presidência a da República deu como a ignorância dos nosso jovens sobre o 25 de Abril, sobre quem foi o primeiro presidente eleito democraticamente, e muitos outras coisa do nosso país democrático, mas talvez não seja tanto assim por culpa dos jovens. Ou o "senhor Silva" já se esqueceu da "juventude Rasca" que ajudou a criar culturalmente enquanto foi Primeiro Ministro deste "país de Sócrates", que já foi de Cavaco, de Guterres, ou de Barroso, o "cherne fugitivo", ou mesmo de Santana Lopes o "bebé proveta" do PSD ........, ou ele não sabe que do 25 de Abril nas escolas secundarias dá-se muito pouco ou, nada mesmo, desta matéria que tanto nos fez felizes em 1974, ou senão começo a pensar que o "senhor Silva" também frequentou a Universidade Independente, pois tudo leva a crer que os bacharéis e licenciados desta universidade não são deste mundo, já que as demonstrações de "alzaimer político" de que fazem alarde é preocupante .
Tivemos também a morte do cónego Melo, Eduardo Melo, o tal "homem da Igreja" que foi "capelão" do MDLP (Movimento Democrático de Libertação de Portugal) e do ELP (Exército para a Liberação de Portugal), figura sinistra que durante o PREC incentivou á organização destes movimentos fascistas onde militavam outras figuras também sinistras como Alpoím Galvão, "Nos barrotes do sótão, o militar medalhado cujo nome terá sido apontado para chefiar a PIDE/DGS antes do 25 de Abril haveria de se voltar a encontrar com outro dos convivas no denunciado almoço em que o anfitrião era o cónego Melo - Paradela de Abreu, o fundador do movimento Maria da Fonte (espécie de compagnon de route do MDLP), anotou este outro conspirador em Do 25 de Abril ao 25 de Novembro (Ed. Intervenção).", o PIDE Barbieri Cardoso, tudo isto comandado pelo "homem do monóculo", o General Spínola, e depois de sabermos tudo o que isto com o "partido do Táxi", CDS, pela voz do "menino fascista", Nuno Melo, pedir que se faça um minuto de pesar, para que se lave a história, por tal fascista de batina que,atormentou a democracia pós 25 de Abril, e com a cobertura de muita gente por ai andou impune, dizendo baboseiras e dando entrevistas, enquanto os oficiais do 25 de Novembro passaram pelas prisões da democracia.
Vamos também comemorar Maio de 68, com toda a força com que os estudantes e o povo trabalhador puseram em causa as políticas de então, as políticas de então são as mesmas que pomos em causa hoje.
Por hoje tal como dizia o poeta "já basta assim".
Fiquem bem

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home