quarta-feira, maio 28, 2008

O "cartelismo" e pobreza no "país de Sócrates"

O preço dos combustíveis aumentou mais uma vez, os autistas dos nossos governantes continuam a enterrar a cabeça na areia tal como a avestruz, no "país de Sócrates" é assim que se governa, levando a população ao sofrimento da miséria para se combater o défice, mas esses sacrifícios não são para todos, não o são para os bancos onde os lucros sobem todos o anos, não o são para as petrolíferas onde os lucros atingem todos os anos cifras que se tornam vergonhosas num país onde há muito as populações na miséria já ultrapassaram os 2 milhões citados por Manuel Alegre na sua campanha para as presidenciais.
Vem a OIKOS, uma associação sem fins lucrativos, reconhecida em Portugal e internacionalmente como ONGD - Organização Não Governamental para o Desenvolvimento, durante as comemorações do Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza, através de um manifesto, onde se pronuncia nas diferenças abismais que os portugueses há muito sentem entre os que têm muito e os que nada tem,
"Este manifesto surge no âmbito dos compromissos assumidos pela União Europeia, em 2000, nas Cimeiras de Lisboa e Nice, e aproveita a onda mobilizadora da campanha mundial Global Call for Action Against Poverty, que em Portugal tem o nome de Pobreza Zero (www.pobrezazero.org), para afirmar que o relegar para o passado da pobreza no mundo, passa necessariamente pela sua erradicação em Portugal.
A pobreza, em Portugal, é um problema social grave e o seu não reconhecimento tem-se revelado, ultimamente, um dos maiores entraves à sua erradicação."
Mais adiante apresenta alguns dados estatísticos de relevante interesse.
"1 em cada 5 portugueses vive no limiar da pobreza (21% da população total)
12.4% da população activa (5531.6) ganha o salário mínimo nacional (374,7€)*
7,2 % da população activa está desempregada; em 2003, mais de 5000 trabalhadores tiveram o seu trabalho reduzido ou suspenso;*
26,3% dos reformados recebe menos de 200€/mês de reforma*
147 332 recebem o Rendimento Social de Inclusão (151,84€)*
79,4% da população activa não terminou o ensino secundário*
45,5% da população, em idade escolar, abandona de forma precoce a escola*
Taxa de Analfabetismo, em 2001, era 9,0% da população*
300 mil famílias (8% da população) viviam, em 2001, em habitações sem condições mínimas
Em relação aos dados de 1999 e 2000, há um agravamento de 20 a 25% da situação de pessoas sem-abrigo*
A taxa de Analfabetismo, em 2001, era de 11,5% para as mulheres e de 6,3% para os homens*Os homens ganham mais 9% do que as mulheres*A taxa de Desemprego, em 2002, era de 55,2% para o género feminino*
Em 2004, 240 730 mil eram famílias monoparentais femininas, num universo total de 275 826 mil*Em 2003, 69% da população dos beneficiários do Rendimento Social de Inserção, seriam mulheres*
Tudo isto levou personalidades do "PS profundo", Mário Soares afirma que PS não pode ignorar a pobreza no país e Manuel Alegre, a pronunciarem- alertando os "socráticos", em convénio nos Açores, entenda-se os seguidores de "Pinto de Sousa, José Sócrates, governante fundamentalista que se considera acima dos outros cidadãos.
Mas logo acorreram ministros e secretários, a afirmar que os avisos não tinham fundo de existir, "Governo não está a dormir à espera que Mário Soares faça um aviso" - Mário Lino, e é verdade estes ditos socialistas não tem nada a ver com Manuel Alegre ou Mário Soares, uns não tiveram lugar no PC, resaibidos com a falta de protagonismo, outros não tiveram lugar no PSD, dadas as dificuldades de ascensão no aparelho dos "boys".
Mas voltemos ao aumento dos combustíveis, esta madrugada lá foi mais um impulso para os "cartéis" dos combustíveis engrossar os seus lucros, "O litro da gasolina sem chumbo 95 octanas vai passar a custar 1,501 euros, enquanto o preço do gasóleo vai subir para 1,425 euros. (Saiba onde encontrar a gasolina mais barata através do link no final do texto e veja um vídeo sobre como poupar combustível)", mas mais alguém lucra com esta situação além das petrolíferas, o Estado através da dupla taxação dos produtos petrolíferos vai assim dando cabo do "défice" que nos vai dando cabo da vida, é essa a razão por o governo não tomar qualquer medida para travar esta escalada de preços, e até os ouvimos pronunciar-se sobre o assunto, "Os preços dos combustíveis em Portugal estão a subir a um ritmo inferior ao aumento do preço do petróleo nos mercados internacionais, segundo os dados hoje divulgados pelo ministro das Finanças.", é assim que o ministro das Finanças nos tenta , mas o comum do cidadão não pensa assim.
Bom este é o castigo por ainda acreditarmos no conto do "político" que nos dando o dito pelo não dito nos levou definitivamente a vivermos tal como viveu o povo português os dias da amargura e da miséria do Estado Novo.
Fiquem bem.

2 Comments:

At 3:28 da tarde, Anonymous Andesman said...

As desigualdades acentuam-se isso é uma constatação. Quando isso acontece alguém é responsável, não vale a pena sacudir a água do capote.

Bom fim de semana

 
At 7:47 da manhã, Anonymous Jofre Alves said...

Meu caro, este artigo é um libelo que subscrevo em baixo, se me permite. Inadmissível a forma como vinte anos de União Europeia, com um camião carregado de dinheiro a entrar em Portugal todos os dias, ainda estamos na cauda da Europa civilizada, mais pobres, mais miseráveis e sem futuro!! Uma vergonha! Boa semana.

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home