quinta-feira, janeiro 17, 2013

Porreiro pá! lá vai o barco ao fundo e a música a tocar ....(parte III)

Enfim! Acabou a referida conferência sobre a "refundação" do Estado e, o nosso  Pacheco , Passos Coelho, foi até frança ter com o Presidente Hollande "a Paris, não sabemos se vai visitar o estudante Sócrates mas sabemos que também anda por lá! já estou a ouvir muito menino da nossa praça a desejar que também ele fosse por lá ficar a estudar, não meus amigos infelizmente vai voltar para continuar a atormentar-nos com mais e mais mentiras, e o pinóquio era ele, Sócrates.
O nosso  Pacheco  ainda lhe perguntou se a França também iria cair no mesmo buraco onde se encontra Portugal, ao que Hollande lhe respondeu que a França não é Portugal, tal como Passos tinha dito da Grécia ...., pois meus meninos com ferro matas com ferro morres (ditado popular), e que disse o Presidente Frances em concreto sobre tal pergunta ....

À questão sobre se ponderaria seguir em França a mesma "receita de austeridade" que o Governo português tem seguido, o Presidente francês respondeu que "não", justificando a resposta com o argumento de que "as situações económicas são diferentes", e "os níveis da dívida não são comparáveis".

É bem de ver que ninguém quer ser a face de ninguém por esta Europa em decadência.

Mas fiquem os meus amigos a saber que Passos Coelho, Gaspar e Portas foram também dar um espetáculo no Olympia de Paris enquanto o barco chamado "Portugal" se afunda com os portugueses a bordo, como consta deste vídeo.




Ficamos também a saber que o FMI durante a conferência sobre a nova tranche que foi disponibilizada pata Portugal falou no consenso social que deve ser estabelecido por cá, o que para mim me parece algo difícil se tivermos em conta que o "brutal" roubo que o Estado está a executar ao bolso dos portugueses dificilmente levará a um consenso social estável nos próximos tempos. Quando no fim de Fevereiro, se não for mais cedo, os portugueses olharem para os recibos de ordenado lá se vai o consenso social ao fundo junto com o barco "Portugal".

O comentário assinado pela directora do FMI Nemat Shafik defende que Portugal ainda enfrenta, por um lado, incertezas a curto-prazo, e, por outro, “desafios económicos consideráveis” no médio-prazo. Uma coisa é clara para o FMI: “As autoridades [nacionais] precisam de orientar os seus esforços para a competitividade do comércio, para aumentar o crescimento a longo-prazo e para avançar para mais consolidação orçamental”.


E com aqueles meninos lá pela "estranja" a divertirem-se como atrás já vimos lá vai o Portugal "bananeiro" ficar sem um dia para gozar o carnaval, por que Dr. Relvas o disse, no ano passado, Dr. Relva fez disso lei.
Coitados dos portugueses vão ter menos um dia para desassocego das suas almas.


O Governo confirmou hoje que não será concedida tolerância de ponto no Carnaval este ano, adiantando que esse princípio vai manter-se, pelo menos, durante a aplicação do Programa de Assistência Económica e Financeira a Portugal. Em conferência de imprensa, no final do Conselho de Ministros, o secretário de Estado da Presidência, Luís Marques Guedes, disse que o mesmo princípio se aplicará à tarde da quinta-feira santa, repetindo-se a decisão de não conceder tolerância de ponto aos funcionários públicos.

E por acumulado a 5ª feira santa~....
Bom é o que temos por hoje.
Fiquem bem.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home