quarta-feira, setembro 18, 2013

A lixeira em que se tornou a Tratolixo - Tratamento de Resíduos Sólidos

Durante o debate na RDP moderado por Maria Flor Pedroso com os candidatos á câmara de Sintra foi trazido á discussão a situação financeira da Tratolixo - Tratamento de Resíduos Sólidos empresa intermunicipal de tratamento de lixos, criada em parceria pelos municípios de Sintra, Cascais, Mafra e Oeiras, que como sabemos têm tido ao longos dos anos presidências do PS e do PSD/CDS-PP.





O debate pode ser ouvido na sua totalidade em RDP noticias.


Tudo leva a crer, e tal como afirmou em Janeiro do corrente ano o vereador da CDU Pedro Ventura, cabeça de lista á câmara de Sintra pela CDU, a gestão da Tratolixo têm sido "danosa" o que deu origem a uma dívida na altura no valor de 175 milhões de euros.






É mais uma daquelas empresas que o estado ou os municípios criaram e que geridas pelos amigos dos amigos, leia-se como amigos militantes da área do PS e do PSD/CDS, foram ou estão na iminência de entrarem em insolvência  como é o caso da Tratolixo, que a pediu em Janeiro do corrente ano.



Mas não foi á tão pouco tempo que os problemas da Tratolixo começaram, o Tribunal de Contas foi chamado a fazer uma auditoria ás contas tendo como referencia o ano económico de 2000, e que estava ainda na câmara de Sintra, nada mais nada menos Edite Estrela, que só saiu em 2001.

As teorias neoliberais de deixar que os mercados se auto-regulem não é só dos neoliberais, é também dos socialistas que inventaram a "Terceira Via", onde a fiscalização exercida pelas tutelas é deixada de lado e os gestores fazem o que muito bem entendem.



 As más noticias fluem como cogumelos venenosos, ainda este mês se veio a saber que dinheiro para fins de desenvolvimento tecnológico da empresa foi utilizado para outros fins, embora meritórios, mas sem dúvida que haveria outros métodos para resolver esse acto meritório.






A questão que se põe aqui, é quem vai pagar a mais que provável insolvência desta empresa intermunicipal, como as dívidas vão cair sobre as câmaras de Oeiras, Sintra, Mafra e Cascais vão ser os munícipes destas mesmas através dos impostos e não só. Assim, podemos atribuir á inercia e falta de fiscalização dos accionistas, versos câmaras promotoras deste empreendimento, uma grande quota-parte deste problema que têm de ser penalizado nas próximas eleições com um voto negativo no PS e no PSD/CDS, assim, como em muitos independentes, como Marco Almeida, que durante anos estiveram coniventes com esta situação e decidiram agora fazer de cordeiros e porem-se de fora, concorrendo como independentes como se nada tivesse acontecido,



Fiquem bem.

1 Comments:

At 1:48 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Quinhentos contos mês para cinco para fazerem este belo serviço. Realmente a política paga bem

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home