segunda-feira, março 11, 2013

E se despedíssemos também Passos Coelho, Gaspar e o Dr. Relvas ...

Este fim de semana depois de ouvir nos meios de comunicação social de que viria a Lisboa, o Presidente da Cáritas Europa. E, este vosso amigo ateu, decidiu mergulhar no site da Cáritas Europa á procura de assunto relacionado com este tema referido no testo acima, isto é, o que a austeridade está a fazer aos povos do Sul e aos mais carenciados, colocando as crianças e a população em geral num estado de miséria só conhecido durante as duas Grandes Guerras ocorridas no século XX.
Fiquei a saber que:

"O espanhol Jorge Nuño está esta quarta-feira em Portugal para lançar o relatório, antes apresentado na Irlanda, sobre o impacto da política de austeridade na pobreza. Na agenda, tem encontros com ministros do Governo a quem vai pedir que alterem a orientação das actuais políticas. Se não querem pôr em xeque o futuro do país.
(.....) 
A pobreza infantil é, para o espanhol Jorge Nuño, secretário-geral da Cáritas Europa, o sinal mais alarmante do relatório da organização apresentado esta quarta-feira em Lisboa. O outro: uma “pobreza estrutural”, que se instala, e tem boas perspectivas de permanecer no longo prazo. Um e outro foram constatados em Portugal e nos outros quatro países deste estudo – Irlanda, Grécia, Espanha e Itália – afectados por políticas de austeridade no âmbito, ou não, de um plano de ajuda financeira.


Os povos têm de se revoltar contra estas medidas de austeridade que só levam ao empobrecimento e á miséria, a escravatura acabou no século XIX, e no século XX libertamo-nos do Fascismo, nós e muitos povos por esses Mundo fora.

Ficamos a saber também, pelo INE, de que o PIB tinha caído no quarto trimestre de 2012.

"O Instituto Nacional de Estatística (INE) confirmou nesta segunda-feira os valores da recessão económica no final de 2012 e atribuiu o agravamento do desempenho económico à desaceleração das exportações. Em relação à primeira estimativa para o quarto trimestre, o INE manteve os 3,8% de queda homóloga do PIB e os 3,2% de queda total da economia em 2012."

Mas voltemos ao relatório que encontrei no site da Cáritas Europa, e que dá um panorama sobre o desenvolvimento da pobreza até 2010, pois foi essa a data encontrada no texto introdutório de Erny Gillen, o deste ano ainda não encontrei, logo que o faça volto aqui com a continuação deste tema.
E que sobressaia sobre Portugal nesse ano.

A encerrar escolas e a abrir lares para a terceira idade
“Nos próximos anos, o número de reformados vai aumentar. Isto também é um problema para os sistemas fiscal e de segurança social. Não há jovens suficientes para dar resposta às necessidades da pessoa envelhecida. E temos taxas de abandono da escolaridade muito altas, há gente que deixa de estudar depois dos 16 anos. Estamos a tentar criar alguns programas que visam atraí-los e reinseri-los no sistema… Verificamos um aumento das taxas de criminalidade em redor das cidades”.
(Prof. José Pires Manso, académico e consultor da Cáritas - CÁRITAS PORTUGAL)

Diferenças perigosas
“Estatisticamente, Portugal caracteriza-se por ter uma das maiores diferenças entre ricos e pobres. Para além disso, o risco de cair na pobreza é alto. Houve um enorme movimento migratório do campo para as cidades costeiras. É difícil passar de um contexto rural para um contexto baseado em serviços. Registaram-se grandes mudanças, mas ainda não se consolidaram. E a formação não é apropriada. Mudou muita coisa, inclusivamente as relações. Avançamos em direcção ao modelo europeu, mas ainda não chegámos lá. Agora não temos jovens. Eles vão-se embora. Estamos a fechar escolas e a abrir lares para a terceira idade!”
(Prof. José Pires Manso, académico, consultor da Cáritas, CÁRITAS PORTUGAL)

Da investigação à acção
“Este é um projecto das Cáritas diocesanas de Ciudad Rodrigo, Guarda e Salamanca, em que cooperam três Cáritas, dois países (Portugal e Espanha) e algumas universidades…
Observámos uma área pobre ao longo da fronteira e estudámos 73 povoações, as suas necessidades e as suas oportunidades. A maior parte do trabalho analítico centrou-se especificamente nas oportunidades. Apesar da realidade ser muito problemática, tentámos perceber o potencial deste território e da sua população e transformámos este estudo num projecto de desenvolvimento comunitário. A capa diz: “Não há terras sem futuro, só há terras sem projectos”…”.
(Paulo Neves e João Pereira, Colaboradores da CÁRITAS PORTUGAL)
Ver mais.....

A ter em conta todos os sacrifícios  e o que todos os dias testemunhamos á nossa volta, estaremos bem piores do que o que aqui é referenciado.


Despeço-me hoje com o seguinte texto para refelxão.


Abre os olhos e reconhece a pobreza.
Escuta atentamente a voz dos pobres.
Abre o coração e encontra-te com os outros.
Abre o espírito e apercebe-te: somos todos humanos !

Por todas estas atrocidades que estes Pacheco neo-liberais, ou mesmo ultra-liberais, estão a fazer aos Povos da Europa, nomeadamente a Portugal eu decidi questionar os meus leitores sobre "E se despedíssemos também Passos Coelho, Gaspar e o Dr. Relvas ...", porque penso que é essa a melhor maneira de voltarmos a evoluir e inverter o processo de retorno civilizacional por que Portugal está a passar.

Fiquem bem.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home